Bidas amanhadas como se pode

Desde que nasceu (bolas, amanhã já faz 5 meses) o herdeiro acorda para mamar durante a noite mas a coisa dura só uns minutinhos e ele adormece logo a seguir. Ultimamente dá-lhe para acordar às 05 da manhã e não dormir mais. Esta noite acordou, mamou de um lado às 05:23, do outro às 05:47 e logo a seguir ainda foi um biberão. 

São agora 07 e ele dorme o sono dos justos na cama com o pai enquanto eu me espumo porque só dormi 3 horas mas não consigo voltar a adormecer… Quando o sol nasce o meu corpo desliga o mecanismo do sono, só o volta a ligar depois de almoço que é quando não dá jeito nenhum… 

Entretanto as ânsias têm andado controladas. Honestamente não me sinto a 100%, mas isso seria difícil dado o stress todo a que tenho estado sujeita. A falta de perspectivas laborais (o F. nunca mais se decide sobre o negocio que queremos abrir), a falta de apoio com o bebé (aparentemente a licença de paternidade serve para se dormir à vontade e para ver a volta à França em bicicleta), a falta de perspectivas risonhas e felizes, tudo isto (e mais) me martela a cabeça todos os dias e a toda a hora.  Além disso, este mês veio-me o período pela primeira vez em 14 meses e para matar as saudades, já vamos em 11 dias e não mostra sinais de querer abrandar.

Por isso muitas vezes suspiro muito, sinto a respiração apertada, mas nada de ataques de pânico e nada de nervos como estava antes.

Amanhã vou para a aldeia. Como me dizia a M. ontem, nunca pensaste ter tantas saudades da tua mãe e é mesmo verdade. Só lá fico uma semana, depois o herdeiro tem de vir tomar vacinas, mas depois volto assim que puder. Preciso mesmo de descansar e nada disto está a ser fácil…

Anúncios

Está tudo calmo?

Ah, psiquiatra maravilhosa esta! Já não me lembrava como ela era simpática, atenciosa, querida, saí de lá mais calma só de a ouvir. 

Pois, diz ela, que tive um descontrolo hormonal provocado provavelmente por falta de magnésio, que é muito habitual após a gravidez e mais ainda no meu caso que já antes tinha sempre os valores de magnésio em baixo. Disse também que certos exercícios físicos intensos (como correr) podem desencadear isso e era precisamente isso que estava a fazer quando me deu o primeiro ataque.

Continuar com o valdispert à noite, tomar alprazolan 0.5 de manhã (diz ela que é muito fraquinho) e magnésio ao almoço e ao jantar e fico nova num instante! 

Estou feliz 🙂

Mas isto agora vai ser sempre assim?

Se dia 1 foi o primeiro ataque de pânico desde há muito tempo (talvez uns 3 anos), dia 3 foi a vez de voltar ao victan. Ando constantemente ansiosa, falta-me o ar, aperta-me o peito, tenho dores de cabeça e hoje até tenho uma veia debaixo da sobrancelha a latejar. Bonito, não?

Quinta volto à psiquiatra, uma que me atendeu já há muitos anos e que não sei se sequer se recorda de mim (eu sei que não me lembro dela). Hoje comecei a tomar valdispert que é muito fraquinho e posso amamentar na mesma a tomar aquilo. Já me estou a ver a chorar baba e ranho só de me sentar no sofá dela… É o que geralmente acontece! Psicólogos e psiquiatras têm este efeito em mim, fazem-me chorar só de me sentar nos sofás deles e depois passo a consulta toda a tentar explicar porque tanto choro! Basicamente um misto de “odeio a minha vida” com “há tanta gente pior que eu, porque é que me queixo tanto?”

Bof…

 

Edit: de que adianta tomar valdispert se à uma da manhã me acordam o miúdo e, mesmo sem ser de propósito, tudo o que fazem o desperta mais e mais? Estou furiosa…

Ai, as ânsias…

Hoje foi o 1o dia de licença de paternidade do R. Como o herdeiro acordou às 6 da manhã para comer e teve de ser biberão (bebi vinho ontem à noite), aproveitei o facto de estar acordada cedo para voltar ao ginásio à hora que gosto: 8 da manhã.

Bora para a passadeira, 5 minutos de caminhada rápida e vamos correr um bocadinho. Pois que não sei quanto tempo passou, comecei a ver tudo a andar à roda, pedi ao velhinho da passadeira ao lado para chamar um professor (coitado, ia caindo a tentar parar a passadeira dele) e a seguir foi ver-me no chão com não sei quantas pessoas à volta, ai que não consigo respirar! ai que morro aqui! ai que eu não fui feita para isto! 

Voltaram os ataques de pânico. Não quero, para já, voltar ao victan, senão aí é que não posso mesmo amamentar, mas a coisa hoje não esteve bonita. Durou aí uma meia hora, tudo à minha volta, quer que chame o inem? costuma ter ansiedade? os filhos só nos fazem destas coisas!

Pensei que tinha passado. Pensei que seria normalagora. Talvez seja hora de voltar aos antidepressivos…