É só fazer as contas…

  
A 27 de fevereiro de 2011 pedi ajuda no facecoiso por causa de um projeto de carnaval na escola da cria. Era amiga do face do maridão há poucos dias, tínhamos amigos em comum e conheciamo-nos das cervejinhas antes dos jogos do Porto na velhota. Ele prontificou-se a comprar uma peruca amarela numa casa onde passava todos os dias a caminho do trabalho (que agora sei que sim, era perto, mas ainda fazias um desvio para ir lá).

A 27 de fevereiro de 2016 trouxemos o nosso filho para nossa casa. ❤️

24/02

Chegou então o herdeiro. Tive consulta de manhã no hospital e marcaram-me indução de parto para dia 26. Fui para casa, almocei e depois de uma caminhada com o canídeo, deitei-me no sofá a ver una serie. Acordei por volta das 15 ou 16 horas com dores de barriga. No wc verifiquei que me tinha saído o rolhão mas na net todos diziam que podiam ser dias até ao parto. Por isso fui tentando aguentar até a hora em que tive mesmo de pedir ao maridão para me ir buscar e irmos para o hospital.

Dar entrada nas urgências já com 5cm de dilatação foi uma experiência nova. Felizmente ainda deu para a epidural mas o parto foi uma maravilha comparado com o da cria e todos os outros que já ouvi falar. Às 19:40 o herdeiro surgia com os seus 50cm e os seus 3.290kg

As noites tem sido terríveis. Eu sei, ainda só passaram 2, mas eu ainda não dormi nem 10 minutos. O miúdo só quer mamar, tenho as mamas em carne viva e as dores são insuportáveis. A enfermeira que esteve de turno esta noite saiu agora (São 8 da manhã) e sugeriu que além do leite materno lhe acrescentasse leite de reforço no biberão.

Passei esta noite toda a chorar. A minha cama está ao lado de uma janela por onde entra o frio. Quero muito sair deste hospital, não me cheira que tenha alta tão cedo mas só quero mesmo é sair daqui.

Preciso de um abraço, preciso de sentir que vai ficar tudo bem. Preciso do meu amor ao meu lado.

(Choro incessante. Não vai ser fácil acabar este texto)

Resumindo e baralhando…

… merda nenhuma! 

Não devia ter faltado à última consulta que lhe marcaram para aqui, iam marcar-lhe a data do parto. Ou Esse bebé já devia estar cá fora! Não podia ir até ao fim.

Tudo muita letra e amanhã nova consulta para marcar a entrega do rapaz.

Devia ter aceite o jeitinho no dia 8. Devia ter feito quilómetros por dia. Devia ter feito tanta coisa…

Aguardamos

O obstetra tinha dito que o puto nascia a semana passada. Que, pelas palavras dele, estava pronto no dia 8. Que, se por algum acaso não nascesse, para ir hoje ter com ele que ele tratava disso. 

Liguei-lhe as 09:30 da manhã para saber se era para ir ter com ele ao hospital ou ao consultório. Não atendeu, liguei 3 vezes, deixei sms. Ligou agora “então, não nasce, é?” “Pois, parece que não…” 

Diz para ir amanhã de manhã à urgência de Obstetricia, pedir para falar com um médico em particular que fala com ele depois. Além disso hoje ao fim da tarde muda a lua, pode ser que influencie alguma coisa ou que faça merda nenhuma…

O meu maior medo? Se ele não quer realmente sair para já, o que vai acontecer quando o forçarem? Vai ser um parto terrível, já estou cheia de pesadelos em relação a isso…  Estou em pânico e nada me conforta

40 semanas

Hoje. 40 semanas. 

Diabetes gestacionais? Nasce prematuro. Fumadora? Nasce prematuro. Ele é muito grande! Nasce prematuro.

A minha irmã chegou a dizer que o bebé vinha passar o natal a casa, o que na altura até me incomodou por achar que seria muito cedo. Mas a verdade é que chegamos às 40 semanas e o puto parece não querer vir cá para fora…

Para ajudar à festa, acho que a cria está a começar a ter ataques de pânico. Diz que não consegue respirar, que lhe dói o coração. Não come nada, não dorme nada, está tudo virado de pernas para o ar e eu não sei o que fazer… Quarta vai a uma consulta ao Z. E., vamos ver o que ele diz no geral sobre tudo que eu preciso que ela esteja bem. Preciso da minha menina direitinha… 

:S

A I., aos 31 anos, foi avó. Sim, aos 31! 

Espera, aos 31 anos!!!! Avó!!!!

Há coisas que nunca me passariam pela cabeça…

Home

O lar é o sítio onde nos sentimos melhor. Onde vivemos, onde dormimos, onde comemos, onde recebemos aqueles de quem gostamos.

 A minha casa, já aqui o disse, é fria. Mas tão fria que só me sinto bem no quarto da cria, o único onde o aquecedor está ligado. Eu sei, quando o herdeiro vier outros aquecedores se ligarão, mas para já não podemos tê-los a bombar 24/7 uma vez que mesmo assim as contas da edp andam nos €75/mês.

E eu assim não me sinto bem. Aquele não é o meu quarto e não é ali que quero estar, mas está tão quentinho que não me consigo aguentar em mais sítio nenhum…

A casa da mãe é quentinha mas já não me sinto “em casa” lá. E agora que tenho de esperar que o miúdo queira vir cá para fora, que passo os dias sem nada para fazer, onde é que me sinto em casa?