Mulher caranguejo

Eu não sou (definitivamente) gaja de signos. Não ligo peva (ou será pêva) a isso, não concordo com o que se diz. Mas tive de partilhar mais um texto “Zuca”.

Ela é meio doida, qualquer coisa triste e surpreendentemente sábia.
Não são extremistas como as geminianas, mas certamente sofrem, regularmente, de uma variação de humor pelo fato de que se ressentem fácil com as coisas. No entanto, se tem uma coisa que não muda na mulher de câncer é o seu senso de economia.
São conhecidas no zodíaco pelo porquinho de segurança onde colocam moedas, convictas e determinadas. Escondem seu tesouro debaixo do colchão e ninguém nem desconfia que tenha alguma coisa lá, tamanha é a modéstia dessas meninas. E é bem provável que a especulação monetária e o valor do câmbio sejam alguns de seus assuntos preferidos.

Mas não ache que por isso precisa lhe dar presentes caros.
Pelo contrário, ela achará isso um exagero. A mulher de Câncer definitivamente não precisa de um homem de posses, só precisa que ele seja capaz de adquiri-las. Ajudará a consegui-lo, mas lhe deixará sozinho se tiver que gastá-lo. Boa notícia! O cartão de crédito não poderia estar em mãos menos perigosas que as delas.

Leve-a para ver o mar, a lua. Isso faz bem as nativas desse signo. Câncer é um signo lunar. Então esse cenário mexe seriamente com essas mulheres (algumas chegam a mudar de acordo com as fases da lua). É ali, num lugar que é delas e só delas (mesmo que seja tão grande quanto o mar), onde se desfazem da carapaça do caranguejo e a imensa infinidade de seus sentimentos respira aliviada. E ai você vê como, apesar da aparente rigidez, a canceriana é inteiramente feita de água salgada. Pode ser de mar, pode ser de lágrima. Câncer é o signo mais emocional do zodíaco. A racionalidade de suas economias nada mais é que uma resposta ao seu desejo de segurança.

Das duas uma: quando elas estão apaixonadas ou são tão tímidas que parecem desinteressadas ou se insinuam de jeito delicado, feminino e enlouquecedoramente suave. Mas dificilmente serão elas que tomarão a iniciativa. O caranguejo só anda para os lados. Até porque as cancerianas temem muito serem rejeitadas e aceitam sempre muito bem repetidas confirmações de afeto.

São donas de um conceito de amor muito raro e é realmente muita sacanagem brincar com os sentimentos dela que já são tão afetáveis. Esteja certo: uma vez que ela se sinta magoada e decepcionada, veste decidida a sua carapaça e você não sabe mais quem está do seu lado (isso se ela não está trancada na carapaça do quarto dela e só Deus sabe quando ela vai sair de lá). Magoá-la é extremamente fácil. Até se você disser que ela está bonita hoje, pode ser coisa ruim (sim, porque isso significa que ela estava feia ontem).

Cancerianas são assim. Dispostas a enfrentar o que for se você expressar sinceramente que está lá com ela e que ela é importante. Amarão alguém de um jeito dedicado, forte e profundo como o oceano dentro delas. Fará-te rir, lhe oferecerá segurança, bem como estará disposta a sair do caminho de casa e ver onde vai dar aquela estradinha de terra. Basta que você esteja lá.

Nem para mim sou boa…

Passo o dia com alimentação saudável.
2 ou 3 litros de água, refeições curtas e saudáveis e pouco espaçadas, comida que sabe a palha. Para tentar contrariar a barriga de desempregada que cresce sempre nesta altura…
Chega a hora de jantar, faço uma carbonara deliciosa, como 2 pratos cheios e só não como mais porque os outros também gostaram e não sobrou nadinha!
Fico horas a remoer-me, ando uma hora a pé, faço de tudo mas nada apaga este sentimento de culpa de ter f*dido um dia inteiro de dieta numa só refeição…

Vamos a médias

Continuando a luta contra o desemprego, comecei esta semana a procurar empregos no estrangeiro.
Angola, Brasil ou um outro PALOP seria preferível uma vez que não deixaria a cria para trás, mas vou vendo outras ofertas noutros países uma vez ou outra.
Posso, até ao momento, dizer com base nas horas e horas de pesquisa diária que 85% dos anúncios de emprego para todos os sítios que tenho visto são para comercial.
Posso dizer também que em Portugal já me candidatei a vários destes e na última entrevista que tive para essa função o salário era de 250€ mensais.
Posso dizer-vos que hoje vi um igual, igual, igual, para Espanha, cujo ordenado era nada mais nada menos do que 1100€ mensais.
Diferença pouca…
Recepcionista num hotel em Tenerife, 1700€. Pumba!
Não falando um c* de Espanhol (arrastando o Portunhol como sabemos tão bem fazer), candidato-me a estas tretas todas.
Itália, Reino Unido, Angola, já estão a levar com o meu CV. Estou farta do canto Lusitano…

Sozinha

A cria hoje pediu para ir sozinha para a acrobática e voltar sozinha no final. O ginásio é na nossa rua, estamos a falar de 50 metros. Mas mesmo assim não consigo deixar de estar preocupada. A cria está a crescer e não gosto nada disso…

Caricato é dizer pouco…

procuro mulher so para estra comigo 2 vezes por semana que nao seja prof dou ajuda elevada sempre

Sim, nos anúncios de emprego… Nova categoria no blog!

Dias de domingo com pic-nic

Trabalhar

Não me considero esquisita no que toca a responder anúncios de emprego.
Ok, tenho algumas condições mínimas que me imponho e outras que me são impostas, como trabalhar noites e fins de semana (já sei, se precisasse muito bem que ia, mas prefiro passar os fds com a cria em vez de só a ver das 7 às 8 da manhã), mas tirando isso respondo a tudo e vou às entrevistas mais absurdas do mundo (como a de ontem).
Hoje fui a outra que, apesar de pagar o ordenado mínimo e ser nos quintos do cara… (nem sei se a carreira lá chega!!!), pode ser que dê para ficar.
Depois, em conversa com o N. que está desempregado há cerca de 2 anos, perguntei-lhe

“mas como é possível que não sejas sequer chamado para nenhuma entrevista? em 2 semanas ligaram-me para 4!”

“ah, mas eu não respondo a tudo. há trabalhos que eu não ia gostar de fazer.”

ora… Eu não gosto de call centers.
Não gosto de ser comercial.
Não gosto de receber menos que a empregada da minha irmã e trabalhar mais horas que ela (e não fosse a minha crónica alergia ao pó até já teria considerado essa hipótese), mesmo tendo uma licenciatura.
Mas gosto muito menos de estar desempregada.
E não consigo estar em casa sem nada para fazer…