Páscoa

Chegar à aldeia e ver uma bandeira dos Super Dragões em casa da minha avó.
Perguntar, com ar admirada, porque raio aquilo ali estava e ela, inchada de orgulho,

pedi a um senhor lá do lar que é portista para as minhas netinhas!

Dois dias depois, a casa decorada para receber o xô padre, ver a cria no quintal a agitar a bandeira numa atitude muito “super” e muito pouco católica.
Chorar a rir e esconder-me quando o compasso chegou.

Comer, dormir, comer um bocado mais, dormitar no sofá, sair do sofá para ir buscar mais umas amêndoas…

Pensar muito na vida, não beber, fumar um bocado menos.
Chegar ao Porto com saudades de animação e querer ir dançar.
Não adianta, o campo não me acalma e as festas cristãs ainda menos!

Sozinha

Sair de um dia esgotante de trabalho e ter de ir ao Lidl porque em casa não tenho nem-um-pãozinho-nem-arroz-nem-sequer-leite e a malta até precisa de comer.
Olha para ali e dizer
“hmmm…. que bom aspecto que têm estes crepes chineses, vou levar”,
depois um
“hmmm… e estas chamuças?”,
passando por hamburgueres, lasanhas, massas e outras merdas que tal, convencem-me que se vivesse sozinha e não tivesse de dar exemplos a ninguém (a cria está na aldeia) seria, definitivamente, obesa.
E, já agora, alcoólica também…

Running on Sunshine

Música preferida do momento. Sem conseguir parar de ouvir!!!!!!!!